A   B   C   D   E   F   G   H   I   J   K   L   M   N   O   P   Q   R   S   T   U   V   W   X   Y   Z 

 
  Início >> Outros >> Estrelas e Astros >> Menelvagor
 
 
Menelvagor


Ou Menelmacar (nome Quenya), são os nomes élficos da constelação de Oríon. Foi colocada nos céus por Varda antes do despertar dos Elfos, e prevê a Última Batalha que se travará no fim dos tempos.

Para os Elfos, esta constelação tinha uma enorme importância simbólica, representando uma guardiã eterna do Mundo. Na tradição mais antiga (The Lost Tales), Menelvagor é o inimigo do exilado Melkor, protegendo Arda do seu regresso. Mais tarde, com o progredir da história, as estrelas passaram a representar Túrin Turambar, que estava destinado a regressar dos mortos e enfrentar Melkor na Última Batalha. Esta tradição pode ser notada nas palavras de O Silmarillion, onde Menelvagor (com o nome Quenya de Menelmacar) prevê a Última Batalha que acontecerá no fim dos dias (3. Da Vinda dos Elfos e do Cativeiro de Melkor), numa alusão à Segunda Profecia de Mandos. Talvez isto ajude a explicar o nome que os Elfos concederam à estrela vermelha, a mais brilhante de Menelvagor, à qual chamamos Betelgeuse e que corresponde ao ombro do guerreiro. Deram-lhe o nome de Borgil, que pode ser traduzido como "estrela eterna". (Nota 1.)

Se Menelvagor representa Túrin, então a sua espada representa Gurthang, a famosa arma negra de Túrin. Tendo isto em mente, talvez seja relevante o facto de que o ferro usado para forjar Gurthang ter vindo do céu em forma de meteorito - o nome original da espada era Anglachel, que significa "Ferro da Estrela Flamejante".

Lendo o Relógio Celeste
O aparecimento de Menelvagor em O Senhor dos Anéis dá-nos um vislumbre extra de pormenores que podem ser facilmente ignorados: ele age como um relógio imenso e espectacular que nos permite cronometrar a acção de um modo preciso. A acção em questão é o encontro de Frodo com Gildor e os Elfos, quando ele parte do Shire na sua jornada fatídica.

Sabemos de The Tale of Years que este encontro aconteceu na noite de 24 de Halimath, que equivale ao 15 de Setembro do nosso calendário. Sabemos também que Menelvagor havia acabado de "trepar sobre a orla do mundo". Em determinada data, uma constelação erguer-se-à sempre na mesma altura de cada ano: se fizermos cálculos apropriados, descobriremos que os Elfos começaram a cantar aproximadamente à uma hora e dez minutos da madrugada.

Para aqueles com tendências mais técnicas, isto é calculado a partir do ponto no qual a estrela mais a sul do corpo de Menelvagor cruza o horizonte oriental ao início da madrugada de 16 de Setembro de cada ano, por volta das 01:07, a hora principal de Greenwich (o equivalente da hora principal do Shire).


Notas:
Nota: 1. A raiz élfica “bor-“ tem uma variedade de significados relacionados: “sempre”, “leal”, “estável”, “persistente”. Todos estes estão relacionados com os mitos de Menelvagor. A tradução de “estrela eterna” não é arbitrária, contudo, existem provas textuais nas quais Tolkien usou “bor-“ como equivalente a “eterno/sempre”

 

Página carregada em 0.278 segundos